13.9.09



De entre saiinhas de ganga que lhe ficavam pelos pés, meiinhas e cuecas de renda branquinhas e muitas fitinhas de cabelo minúsculas, foi trocando o choro de birra e o caminhar cambaleante pelo ar de "senhora", pelo jeitinho em arrumar papeis direitinhos e em limpar o pó aos livros do "ispistório" da mamã e pelas manchas de emoção quando jogava às cartas com as irmãs mais velhas. Lembro-me tão bem da nossa Martinha... Lembro-me como se fosse hoje de ela me aquecer a cama e o pijama na esperança de que me deitasse à mesma hora, (embora tal nunca acontecesse) e de, às vezes, me trazer uma caneca de leite de chocolate aquecida no microondas... Era uma senhora. Acho que nunca disse isto, mas é evidente que quando fui trabalhar para fora foi das pessoas que mais me custou deixar... A minha irmã pequenina... Aquela que durante o primeiro ano me ligava todas as noites para falar... Foi também a única pessoa que me fez chorar por estar longe, pois percebi nesse ano que o afastamento físico me privaria de ver os pequenos avanços do seu dia a dia... Mas tudo faz parte e hoje... Bem hoje... Está crescidíssima... Independentemente da idade, uma rapariga cheia de projectos e ideias contidas numa atitude discreta e envergonhada com os estranhos, que se transforma em palavras e palavras que surgem em catadupla nas conversas à hora da refeição. Às vezes quero que ainda seja uma menina que precise da nossa ajuda e da nossa orientação, mas muito embora ainda a peça é bastante autónoma, com a cabeça no lugar e pouco influenciável e ainda assim muito muito compreensiva e meiga... A nossa Marta (que de Martinha já não tem nada) tornou-se a verdadeira artista da familia, sabendo adaptar-se a cada uma de nós e estando agora a florescer e a brilhar à medida que crescem os seus cabelos fantásticos. É com muito orgulho que ouço muitas amigas dizerem que está muito parecida comigo. Gosto muito de pensar que sim, pois para além de a adorar como irmã, admiro muito a sua personalidade e a forma subtil como a mostra em coisas do dia a dia que passam distraídos aos olhos dos que vivem sem reflectir. Por isso, hoje que e o dia do seu aniversário, bem... decidi fazer-lhe uma homenagem... e dizer-lhe que a vida será apenas um sucessivo de vitórias que se devem especialmente à sua força de vontade em fazer aquilo que realmente gosta... Para a fotógrafa, a desenhadora, a escritora, a actriz, a irmã, a filha, a tia, a amiga... Um beijão muito colorido e especial e um dia de aniversário muito feliz.
Teresa Margarida


Depois ontem eu falei-lhe da minha irmã mais velha (a mais velha de todas) já sabes como sou quando começo a falar da minha família, está-me no sangue ama-los a todos de uma forma enorme e sem limites. E depois adormeci e pensar nisto, no que ela tinha dito, no dia em que fiz anos. (24 de abril, para quem não sabe) ah e depois na fotografia é ela, a 28 de dezembro. depois eu não queria dizer mais nada, mas sei que este ano, vou ter mais saudades dela, no que outros todos juntos.

6 comentários

  1. É verdade :D
    Tens algum curso de fotografia?
    Beijinhos**

    ResponderEliminar
  2. que boas fotografias. vou iniciar o meu blog em força

    ResponderEliminar
  3. O mais engraçado é tentar descobrir para quem falas. :)

    ResponderEliminar
  4. Acho que amas mais a tua família que qualquer outra pessoa. O que é bom. Esperemos que isso não mude, por ninguém. Há que cuidar com quem se ama, o coração, esse é tolo e não ouve outrém.

    ResponderEliminar

Copyright © mau olhado
Design by Fearne