23.7.10

Cartas à Ana - Dia um

Minha querida Ana,
Tal como prometi (embora tenha sido em modo de gozo) vou escrever-te um bilhete todos os dias para não me esquecer mais tarde de te contar todos os momentos mais emocionantes, que duvido que venham a existir agora, mas de todas as pessoas que conheço, aposto que gostarás deste meu miminho diário. A viagem foi agradável (...), foi rápida, demasiado rápida para o meu gosto, confesso, sempre gostei de viagens compridas e queria que esta, fosse a maior de sempre, e a verdade é que assim que comecei a reconhecer as ruas, a minha barriga apertou-se, o meu coração começou a bater mais rápido e por pouco não deixei escapar umas quantas lágrimas. Não queria estar ali, daria tudo para voltar atrás. Não que o tenha dito, mas tinha medo que aquele mesmo pensamento me invadisse por todos os dias que me esperam aqui. (...) Depois fomos à escola onde a minha irmã deu aulas este ano, é a mais bonita que já teve, tem um pequeno jardim, é amarela e tem desenhos nas paredes da entrada, joaninhas e abelhas. O refeitório é amarelo com janelas verdes e também há a horta. Sentei-me nas escadas que ligam à horta e deliciei-me com umas quantas páginas do teu livro, sim, deixei a mãe desleixada para trás e meti-me com os gregos e têm-me feito maravilhas. Mantive-me tempo suficiente assim para perceber que gostava de estar aqui, gosto do tempo, que sendo de sol e calor, tem sempre aquele vento que corre livre e nos refresca, o atrevido que continua a esconder-se entre as poucas ondas do meu cabelo. A luz, que continuo a insistir é diferente aqui, (mas às vezes demasiado pesada para os meus olhos). O silêncio, que apesar das conversas é uma presença brilhante. O espaço para pensar, o chão quente debaixo dos meus pés descalços quando faço o caminho da piscina até casa. Quando finalmente saímos da escola, decidimos fazer um pequeno piquenique à beira da piscina, onde depois me meti até o meu corpo estar tão cansado que eu já não conseguia distinguir uma perna da outra, (....) Quanto a qualquer coisa relacionada com sentimentos e emoções não faço ideia do que sinto, estou tão cansada que sinceramente, eu já não sei.

Martitas

Enviar um comentário

Copyright © mau olhado
Design by Fearne