5.9.14

até já verão.

A minha ideia inicial era guardar esta publicação para o primeiro dia de chuva já no período de aulas. Pensei que poderia ser bom tom, encher-me de boa nostalgia recordando já com saudades as memórias do Verão que tinha acabado de passar. Sem dúvida uma altura cansativa (muito mais do que estava à espera) mas que nessa altura - o tal primeiro dia de chuva - ia apenas recordar a quantidade de coisas giras que tinha feito. Mesmo agora que escrevo, e os dias de sol ainda parecem ser para ficar, sinto como se estes últimos meses tivessem sido um dos melhores verões que tive. Não o digo, porque tenho a ideia que o digo todos os anos, iria soar como um cliché. Por isso, vou apenas dizer que estou bastante satisfeita com estes dias mais quentes que passaram. Sei que as fotografias mostram oposto, mas o tempo livre não foi muito, consegui ter mais ao menos uma folga por semana, mas por vezes, nem isso. Como já o escrevi aqui, conciliar dois trabalhos, os pedidos da Mau Humor, os amigos, família e o Luís, exigiu de mim um esforço extra e cheguei a ficar espantada com a quantidade de sono que o corpo aguenta. Não sabia que era possível estar tão imensamente cansada e ainda assim levantar-me e levar avante aquilo que me tinha proposto a fazer durante a manhã de forma a poder desfrutar de uma tarde livre. Não me estou a queixar, longe disso. Sinto que estes horários e as propostas que tive para o Verão me fizeram aproveitar todos os minutos livres, todas as conversas cheias de sono, a visita a Lisboa (deixou curiosidade para voltar o mais rápido possível) e ainda na mesma semana, o passeio até ao Porto. As muitas bifanas fora de horas, as conversas sobre os sonhos mais ou menos impossíveis com os pés enterrados na areia, conversas sobre arte ao mesmo tempo que se brincava com a àgua do rio. O mês inteiro que a minha irmã mais velha passou aqui e as vezes que adormeci a ver filmes com ela. Os semi frios, os gelados e os crepes fora de hora em casa da Bela. As conversas no café sem darmos conta da noite passar, as ideias que surgiram, as ideias que guardei e desenhei, as ideias que deixei fugir. Os sapatos que bordei e adormecer deitada com a cabeça no ombro do Luís depois de cinco minutos de filme. A esplanada nova que gosto de ir, sentar na relva, a zine que criei para comprar uma nova câmara fotográfica e até um piquenique que fizemos entre irmãs, num domingo, antes de ter de ir a correr para o trabalho às 14h. Vou-me lembrar que foi neste Verão que comprei o meu primeiro chapéu, que decidi deixar crescer o cabelo, para depois decidir cortar mas ainda assim deixa-lo crescer. Os passeios com o Hugo e quando ele disse "tu a mim não me tiras fotografias", para depois colocar-se estrategicamente à frente da lente. E claro, não poderia esquecer que este foi o Verão em que recebemos a visita da minha tia Guida e os meus primos Miguel, Rui e a Bea que já não vinham a Portugal há dez anos e eu adorei conhecer de novo. 
Mas agora, e porque Setembro sempre teve ares de passagem de ano, sinto necessidade de parar e fazer uma pequena reflexão sobre todas as coisas que aconteceram nestes últimos meses e ver para onde parto agora. Gostava de ir para os caminhos da cerâmica e da serigrafia têxtil. Gostava de aprender francês, melhorar o meu inglês. Gostava de aqui a alguns anos pudesse tirar uma outra licenciatura (ando de olho em duas coisas em Castelo Branco), gostava de fotografar mais, gostava de ter o tempo necessário para trazer de volta a Mau Humor com todas as novidades que pensei para esta e também de ler todos os livros que tenho em casa para ler. Sei que tudo isso acabará por chegar, com mais ou menos esforço, com mais um part-time se for preciso, com mais atenção nas aulas, com mais cafés, com mais medo, com mais receio. Mas também mais feliz, mais este sentimento de que tudo pode correr mal, algo pode não resultar, poderei ter que voltar atrás, poderei ter que pensar em novos planos, mas desde que me vá esforçando, que não tenha medo de colocar mãos à obra, tudo será possível e realizável.

Estas fotografias foram tiradas de Junho a Agosto de 2014 com o telemóvel e app vsco cam.

fotografias dos três dias de visita à zona de lisboa & ainda o chão de serralves

fotografias do passeio pelo Porto 

ainda serralves & chão da feira de antiguidades 

Passeios com o Hugo, folgas com os primos & outras coisas 

 passeios com o Luís nos dias de folga 

fotografias dos dias de filmagens do trabalho de multimédia 



 fotografias de um dos meus sítios preferidos em Viseu

com a Teresa Margarida na figueira da foz e na gula do meio da tarde. 

Mau humor & crepes em casa da Bela 


1 comentário

Copyright © isto já não vai lá com chás
Design by Fearne