29.9.17

as minhas séries preferidas

© frame from SKAM
O ano passado comecei a trocar os filmes pelas séries e lentamente juntei-me ao grupo de pessoas que quando começa a ver um série até se esquece de jantar. Vejo episódio atrás de episódio atrás de episódio e quando dou conta passou o fim-de-semana e eu não vi a luz do dia. Portanto decidi deixar aqui a lista das minhas séries preferidas-mesmo-preferidas e se não viram, bem, eu não sei mesmo do que estão à espera!


1. STRANGER THINGS

STRANGER THINGS É A MINHA SÉRIE PREFERIDA DE TODOS OS TEMPOS. A sério, se apenas pudesse escolher uma para recomendar seria esta! O que é engraçado é que não é bem o meu gênero. É uma série muito de ficção cientifica, maior parte do elenco é constituido por miúdos (que fazem muito bem o seu papel) e é vivida na década de 1980 (sendo todo o ambiente muito caracteristico dessa época. As casas, as ruas, as roupas e claro, a música). A história começa com o desaparecimento de um dos miúdos e o que acontece enquanto os seus amigos decidem ir à sua procura e se cruzam com Eleven! Eu acho que o me faz gostar tanto desta série (que a primeira temporada tem apenas oito episódios) é que está cheia de referências a outras filmes, livros e personagens e porque a episódio a episódio vamos descobrindo mais informação e percebendo aquelas primeiras deixas dos primeiros episódios até ser revelada uma grande verdade final! Cereja no topo do bolo? A segunda temporada está quase quase aí! 


2. BLACK MIRROR

Para mim cada temporada de Black Mirror é um conjunto de filmes brutais que conseguem mesmo mexer com as minhas emoções. Nunca consegui ver mais do que um episódio de cada vez, porque no final precisei sempre de reflectir sobre aquilo que acabei de ver e alguns dos casos fiquei até fisicamente mal disposta. Cada episódio é independente e abordam temas da nossa sociedade, especialmente sobre as consequências do uso da novas tecnologias e que caminho que estas estão a tomar, havendo episódios com tecnologia do "futuro" (que sabemos que em alguns casos não estará assim tão no futuro) e daí o nome, os ecrãs escuros dos nossos telemóveis, televisões, tablets. Dentro do vários episódios confesso que os meus preferidos não são os mesmo que os das outras pessoas com quem tive oportunidade de falar, pois aqueles em que a realidade é mais parecida com a nossa foram os mais me fizeram pensar: White Bear, Shut up and Dance e The National Anthem (que numa das últimas cenas queremos mesmo virar a cara para o lado).


3. MR. ROBOT
Mr. Robot é uma série sobre uma revolução que um grupo de hackers organiza para destruir uma grande-grande companhia e mudar o nome, mas o melhor da série, para mim, é a que personagem sofre de transtorno social e depressão e nós, público, somos um dos amigos-vozes-something com quem ele fala e então algumas informações cruciais das séries nós vamos descobrindo à medida que a personagem principal descobre e às vezes é mesmo tipo: uau não estava nada à espera disto.


4. THE HANDMAID'S TALE

Para já, envolvi-me de tal maneira na história desta série que me fartei de chorar nos últimos três episódios. É verdade, aconteceu, e isso já devia ser um sinal deviam ver, certo? Se ainda assim querem mais alguma informação, a série é baseada num livro com o mesmo nome de 1985 e tem dez episódios. Um conjunto de situações permite que seja criado uma nova sociedade com diferentes estatutos sociais dos que estamos habituados. Num ambiente bastante rígido, militarizado e controlado, as mulheres não podem trabalhar, ter dinheiro ou qualquer tipo de posse (ah e não podem ler, claro) e as poucas mulheres que restam nesta sociedade que ainda conseguem ter filhos passam a ser as handmaids e resumidamente, terão os filhos pelas famílias dessa nova sociedade num ritual, bem, terão que ver. Ao longo dos episódios acompanhamos as experiências de June/Offred que se vê introduzida nesta sociedade e entre se manter em segurança e seguir as novas regras, tenta juntar-se a um movimento de revolta e encontrar a sua filha. Curiosos? ~ they should never have given us uniforms if they didn't want us to be an army. 


5. SKAM

Skam é uma série norueguesa e provavelmente mais indicada para jovens visto que visa os seus problemas e dramas. Mas o que achei bastante singular nesta série é que cada temporada acompanha apenas umas das personagens e nós como espetadores também só sabemos aquilo que aquela personagem vê, ou seja, vimos sempre tudo da perspectiva de uma só pessoa o que, tal como na vida real, faz com que não tenhamos sempre toda a versão da história e temos que basear a nossa opinião na verdade de cada um. Gostei que dentro dos vários temas que forma abordados, não se deixaram cair apenas nos clichés, gostei da banda sonora e vejam só, num dos episódios tem até uma referência à minha série preferida! 


E daí desse lado, qual é o vosso top de séries?

4 comentários

  1. Uma publicação à minha medida! Desta lista ainda só comecei Stranger Things, mas não fiquei tão "agarrada" quanto esperava. Quero muito ver The Handmaid's Tale.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oh eu acho que Stranger Things tem esse problemazinho. Ou se gosta ou logo, ou a coisa não vai lá. Não és a primeira pessoa que me diz o mesmo, acho que tem haver um clique.

      Mas quanto a Handmaid's Tale, vê, vais gostar de certeza absoluta! Estou muito curiosa com a segunda temporada! :)

      Eliminar
  2. Muito resistente a ver a Stranger Things que continuo a empurrar para o fim da lista de séries para ver, mas de resto já vi todas. Adorei a SKAM. Consumi avidamente a Black Mirror. Chocou-se o meu interior com a Handmaid's Tale.
    Concordo com as descrições e também sou apaionada pelas grandes maratonas ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Stranger Things é assim, ou se gosta ou não! Tenho pena que não faças parte do grupo de pessoas que vê como é fixe :p

      Eliminar

be kind.

Copyright © gentesentada
Design by Fearne