29.6.18

perderpontofinal


Sem título

A pergunta é clara, óbvia e repetitiva. “Então, e têm futuro?”. Posso dizer que sim, tranquilizar todas as vossas mentes inquisitivas e posso responder que não e vejo os alarmes a surgirem na vossa cabeça. Como posso eu dedicar tempo e vida a algo que eu não prevejo futuro? Porque, amigos, eu vivo o presente.
Talvez a perda seja um traço que herdamos. A minha avó materna tinha tendência para perder coisas. (…) Conseguia perder coisas mesmo nas fronteiras do seu pequeno apartamento. O lenço de renda desaparecia misteriosamente, algures nas profundezas abismais da sua malinha preta. (…) A minha avó perdia recibos, fotografias, meias, documentos, jóias, dinheiro. (…) E, porém, perder coisas não preocupava a minha avó. «Perdemos a nossa casa na Rússia, perdemos os nossos amigos, perdemos os nossos pais. Perdi o meu marido. Perdi a minha língua.», dizia ela, num misto curioso de russo, iídiche e espanhol. «Perder coisas não é tão mau, porque aprendemos a desfrutar não do que temos mas do que lembramos. Devias habituar-te à perda.» Embalando a minha biblioteca, Alberto Manguel // pág. 64 

20.6.18

Another wasted love story. I really love this one.

IMG_8735
IMG_8738

It always fascinated me how people go from loving you madly to nothing at all, nothing. It hurts so much. When I feel someone is going to leave me, I have a tendency to break up first before I get to hear the whole thing. Here it is. One more, one less. Another wasted love story. I really love this one. When I think that it's over, that I'll never see him again like this... well yes, I'll bump into him, we'll meet our new boyfriend and girlfriend, act as if we had never been together, then we'll slowly think of each other less and less until we forget each other completely. Almost. Always the same for me. Break up, break down. Drunk up, fool around. Meet one guy, then another, fuck around. Forget the one and only. Then after a few months of total emptiness start again to look for true love, desperately look everywhere and after two years of loneliness meet a new love and swear it is the one, until that one is gone as well. There's a moment in life where you can't recover any more from another break-up. And even if this person bugs you sixty percent of the time, well you can't live without him. And even if he wakes you every day by sneezing right in your face, well you love his sneezes more than anyone else's kisses. 2 days in Paris.

antes, o momento anterior parei para perceber se era mesmo aquilo que eu queria fazer, se aquela era mesmo a decisão que queria tomar. em vez disso distraí-me com o verde das árvores, o azul do céu, a aragem quente e o meu coração que batia bastante rápido. não sei se da subida, se de antecipação. não. da subida definitivamente. depois de alguns minutos parada a minha respiração volta ao normal. sentamo-nos. sobre este momento não quero guardar nada. depois levantei-me e assim que tive oportunidade olhei para as árvores. o mesmo verde, o mesmo azul, a mesma aragem. não mudou nada, mas mudou tudo. será primavera, ainda assim.
Quando vier a Primavera, / Se eu já estiver morto, / As flores florirão da mesma maneira / E as árvores não serão menos verdes que na Primavera passada. / A realidade não precisa de mim. Alberto Caeiro, Quando vier a primavera
nem de nós. 

queselixeomedook? antes: quero tomar as decisões de coração. coração aberto.ferido.receoso. mas descobri que muitos corações estão assim. então, sejamos mais gentis nas nossas decisões, mas por favor, não sejamos medricas. não sejas medricas. depois: se acredito que valeu a pena? hm.


futuro
o-verão-passado-em-playlist, esta playlist está a ser muito querida para mim. quando, o ano passado ouvia estas músicas (algumas em modo repeat) eu não fazia ideia das coisas boas que iriam acontecer entre estes dois verões. por isso, não tenho que ficar triste pelo que perdi, mas feliz pelo o que tive oportunidade de viver e bem, sabemos lá o que acontece até ao verão de dois mil e dezanove.

17.6.18

gentesentada, a loja

Sem título

Agora o gentesentada tem um loja com cinco novos produtos todos os meses. Vai haver prints, totebags, canecas, marcadores para livros e tantas outras coisas. Estejam atentos!

15.6.18

mãe, fiz uma mala!

mãe, fiz uma mala!mãe, fiz uma mala!

Esta nova moda chegou e eu, como muitas de nós, não consegui resistir. Para onde quer que olhasse via carteirinhas dentro deste gênero. Mais pequenas, maiores, noutras formas geométricas, com bordados e com pompons. Eu queria! Sempre que entrava numa loja o meu olhar era atraído para a secção das carteiras e eu sabia que ia me trazer uma certa dose de felicidade ter também uma para mim. Infelizmente os preços eram sempre puxados para os meus orçamentos (que para roupa e afins é igual a zero e eu raramento o levo a sério), então decidi colocar mãos à obra e fazer a minha própria carteira! O resultado final deixou-me muito orgulhosa. Cheia de defeitos e pormenores que não correram assim tão mal, mas feita à minha medida e exactamente como eu queria! 

// para fazer esta carteira guiei-me por este tutorial: bolsa circular de palha

mãe, fiz uma mala!
mãe, fiz uma mala!
mãe, fiz uma mala!

13.6.18

oh that white tee | wishlist


I think it says a lot about me that I only own four black t-shirts and a million white t-shirts. Really like a million! I think I can spend a whole month wearing nothing but white t-shirts without needing to repeat them. Do you think that stops me from falling in love with more? Nope, not really, so there's my new wishlist from zaful (one of my favorites online stores)! And if you want you can buy a lot of white tee for yourself as well. Use the code ZFNancy and you'll get 10% discount!




Free Shipping Worldwide, Shop from $5.99, Coupon up to $40, ect...
Enjoy Zaful 4th


Anniversary Carnival (Jun. 18th to 20th)

7.6.18

maiomaiomaio | vídeo






Maio: Manuela. Receitas do Para mim, sem glúten da Sara. Tardes com a Inês. Uma destralhação dos meus pertences. Uma nova secretária. Primeiros piqueniques. Fotografar a Sara & Tiago. Muito café e café a mais. Uma visita a um dos meus lugares preferidos e não é por nada, mas o tempo passou a correr.

5.6.18

Sara, Tiago & o Amor

tiago & sara
tiago & sara
tiago & sara
tiago & sara

no outro dia, num bocadinho em que não esteve a chover, saímos para fotografar. sabe-me sempre bem testemunhar os sentimentos dos outros. talvez seja um mecanismo de defesa mas estou sempre a duvidar, sempre a colocar em causa, sempre à procura da razão porque duas pessoas estão juntas. quer dizer, bolas marta, não pode ser mesmo amor e pronto? raio da miúda. que ninguém me leve a mal. sou a maior fã do amor, mas sem acreditar nele a cem porcento. parece sempre demasiado bom para a minha realidade. mas eu sou medricas. estupidamente medricas. tenho medo de cair, de me afogar e não saber mais voltar atrás. uma salva de palmas a todos os que dão a mão sem hesitar, estou a tentar aprender a viver o amor à séria.

tiago & sara
tiago & sara
tiago & sara
tiago & saratiago & saratiago & saratiago & sara

Se quiserem também podem ter fotografias bem bonitinhas para colocar na parede da sala ou num álbum! Para saberem mais informações e preços basta falarem comigo por e-mail martafilipadc@gmail.com ou em qualquer outra rede social.

2.6.18

a Fórmula da Felicidade

fórmula da felicidade
fórmula da felicidade

    Ok, menti. Título sensacionalista para ter mais cliques e visitas! * you know me *

   A verdade é que não acredito que haja uma fórmula mágica para atingir a felicidade mas nos últimos dias tenho tentado sê-lo com pequenas mudanças práticas no meu dia-a-dia. Exemplo um: se tiver que ir de um sítio para o outro aproveito para observar como o portão da vizinha combina com as suas flores e como isso me lembra aquela música da capicua. Exemplo dois: beber galões em todos os dias de frio e molhar os pés em todos os rios que se cruzam no meu caminho. Exemplo três: criar to do lists diárias, semanais ou mensais (ou todas de uma vez!) mas realistas. A mim algo me que me deixa feliz é chegar ao final do dia e saber que fiz muito do que queria (ou até tudo), mas para isso é preciso ser esperto na hora de as criar. Não sejamos demasiado exigentes, que tenhamos sempre a capacidade de conhecer os nossos limites e é essencial não esquecer as horas para ler livros.
   Depois disso, a felicidade resulta melhor que café. Acredita. Quando acordar às cinco da manhã é sinal de produtividade e não de insónias é porque algo de bom está acontecer na vida. Estou a viver. Aqui no presente, para o presente, com vontade do presente.

fórmula da felicidade

   Não há um caminho mágico para a felicidade. São vários momentos. Pequenas decisões. Equilibrar a oportunidade e estar atento ao que importa. O calor da tua mão na minha, o vento na pele quando me sento no banco no jardim para ler e as flores da vizinha. E o que me deixa mais feliz no meio disto tudo é que já nada disto é da boca para fora. Tenho mesmo parado e pensado: bolas, olha que bem que cheira este chá.
“Claro que, além do facto óbvio de as nossas emoções serem maravilhosamente caleidoscópicas, seria mais verdadeiro dizer que os artistas trabalham melhor num estado feliz. O desespero existencial e a agonia física de Schopenhauer só eram aliviados no momento da escrita. Nunca saberemos se ele se sentia subitamente feliz e então escrevia, ou se começava a escrever e então se sentia subitamente feliz.” Embalando a minha biblioteca - Alberto Menguel pág. 42

fórmula da felicidade
fórmula da felicidade
Copyright © gentesentada
Design by Fearne